Previdência Privada

O que é a Previdência Privada

A previdência privada, também chamada de previdência complementar, é uma forma de seguro que permite ao beneficiário acumular recursos para garantir uma renda mensal no futuro, especialmente quando se deseja parar de trabalhar. Esta opção de investimento, num primeiro momento, era vista como uma poupança extra, além da previdência oficial, porém como a tendência é ter que contribuir mais tempo e o benefício do governo tende a ficar cada vez menor, o direcionamento para a previdência privada permite garantir uma fonte de renda atrativa ao fim da carreira profissional.

Com ela, é possível economizar mensalmente pequenos valores e proporcionar um futuro mais seguro e confortável para você e sua família. Apesar de ser um investimento facultativo, a Previdência Privada é, hoje, uma alternativa bastante procurada pelos brasileiros, com o objetivo de complementação de renda.

No Brasil, existem dois tipos de previdência, a aberta e a fechada. Na aberta, qualquer pessoa física ou empresa pode contratar. A fechada, por sua vez, é disponível somente grupos específicos, como funcionários de uma empresa ou associados de uma instituição. Vale ressaltar que a previdência complementar aberta é oferecida por seguradoras ou bancos, e consta no portfólio da XP Investimentos.

As pessoas que buscam este tipo de investimento podem investir pensando em: ter uma renda moderada como alternativa a aposentadoria pelo governo, planejar a sucessão em sua família, ou utilizada na modalidade de previdência privada infantil, onde os recursos ajudarão na formação acadêmica e no início da vida profissional da criança ou do adolescente.

Quais os riscos da Previdência Privada?

Todos os Planos de Previdência Privada são fiscalizados pela Superintendência de Seguros Privados (Susep), órgão do Governo Federal. Isso significa que mesmo que seja um investimento gerido por uma entidade privada, existe uma fiscalização governamental de que os bancos e seguradoras estão obedecendo as diretrizes da lei.

Mesmo que seja fiscalizado pelo governo, a previdência privada não está coberta pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito), o que significa que se a instituição onde você tem o seu plano de Previdência Privada quebrar, você perderá todo seu dinheiro aplicado. A boa notícia é que no Brasil não se tem histórico de grandes instituições que trabalham com esta opçõa de investimento irem a falência.

A XP Investimentos trabalha com as maiores seguradoras disponíveis no mercado, tais como:

Quais os benefícios da Previdência Privada?

Esta modalidade de investimento possui uma série de benefícios. Começando pela facilidade em investir. As contribuições podem ser mensais, esporádicas ou realizadas apenas no momento da contratação. Seja qual for a periodicidade, os pagamentos podem ser feitos via débito em conta ou boleto bancário. Além disso, é possível alterar o valor que está sendo investido, fazer aportes extras, suspender as contribuições mensais, e até resgatar o valor acumulado.

Também, é flexível na alocação de investimentos. Isso significa que é possível investir em diversos perfis de fundos, como Renda Fixa, Multimercado e Ciclo de Vida (alocação dinâmica de ativos). Além disso, você poderá trocar o Fundo de Investimento escolhido, a qualquer momento, ou até mesmo mudar o seu plano de seguradora, através de portabilidade.

Como a Previdência Privada é um investimento de longo prazo, é importante estar seguro de onde e como aplicar seu dinheiro. Investindo em Previdência Privada, você tem a tranquilidade de poder alterar sua estratégia de investimento, a qualquer momento, se achar necessário. É o que chamamos de portabilidade, ou migração entre planos, garantida pela lei complementar nº 109, de 29/05/2001, que permite que você migre seus recursos de instituição.

Graças a essa flexibilidade, é possível transferir uma parte ou todo o recurso investido, de um Plano de Previdência Privada de Renda Fixa para um Plano de Renda Variável, por exemplo, sem pagamento de Imposto de Renda ou a realização de resgates ou. É importante destacar que a migração só é possível entre produtos de mesmo tipo e tributação. Ou seja, de PGBL para PGBL, e de VGBL para VGBL.

Como escolher o melhor Plano de Previdência Privada?

Por mais que seja considerado um tipo de investimento no qual é facil começar a investir, é necessário prestar atenção em três variáveis: taxa de carregamento, taxa de administração e rentabilidade. A Upper Investimentos auxilia você na tomada de decisão analisando seu perfil e sugerindo a melhor opção de investimento para que você tenha o melhor retorno de investimento.

A análise de perfil permite que seja escolhido um Plano de Previdência Privada. Para definir a escolha é necessário seguir 3 passos importantes, que estão detalhados abaixo. O primeiro deles é a escolher a modalidade (PGBL ou VGBL), o segundo é escolher o regime de tributação (Tabela Progressiva ou Regressiva), e o terceiro é identificar a modalidade de plano ideal (Renda Fixa, Multimercado ou Ciclo de Vida).

1- Escolha o tipo de modalidade que atende melhor às suas necessidades: PGBL ou VBGL

PGBL

VGBL

Indicado para

Ideal para quem declara o IR pelo modelo completo, e contribui para o INSS. Permite o benefício fiscal na Declaração de Imposto de Renda, durante o período de acumulação.

Ideal para quem é isento ou declara o IR pelo modelo simplificado. Também é indicado para quem deseja aplicar mais de 12% da sua Renda Bruta em Previdência Privada, ou apenas diversificar investimentos.

Na declaração de imposto de renda

Os valores investidos no plano podem abater até o limite de 12% da base de cálculo, na Declaração Anual de IR

Os valores investidos no plano não são dedutíveis do Imposto de Renda.

No momento do resgate/pagamento do benefício

O Imposto de Renda incide sobre o valor total resgatado.

O Imposto de Renda incide apenas sobre os rendimentos. As contribuições realizadas não são tributadas.

2. Escolha o regime de tributação: progressivo ou regressivo

Tabela progressiva

Tabela regressiva

Tributação no Imposto de Renda no momento do resgate

No momento do resgate, a tributação ocorre na fonte, à alíquota de 15%, com posterior ajuste na Declaração Anual do Imposto de Renda

Alíquota inicial de 35%, nos primeiros 2 anos, podendo chegar até 10%, após 10 anos de permanência no plano

Tributação de Imposto de Renda no momento do recebimento da aposentaria

Conforme Tabela Progressiva vigente do Imposto de Renda.

As alíquotas são decrescentes em função do tempo de permanência de cada contribuição no plano.

Perfil

Ideal para quem tem objetivos de curto ou médio prazos.

Ideal para quem tem objetivos de longo prazo.

Escolha o tipo de plano ideal para seu perfil de investimento:
Fundos de Renda, Fundos Multimercado e Fundos Ciclo de Vida